#Oportunidade.
Publicada em: 08/02/2017 | 1079 Visualizações
Jovens do meio rural participam do programa Jovem Aprendiz
COMMENTS
“A união faz a força”. Esse ditado popular faz jus à parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) dos estados de Sergipe e Bahia. O resultado dessa união é a criação da primeira turma do programa Jovem Aprendiz Rural, atendidos pelas duas instituições.

O curso está sendo realizado em Rio Real na Bahia e conta com os instrutores do SENAR Sergipe e material metodológico do SENAR Bahia, além da parceria da Indústria Alimentícias Maratá. A iniciativa, além de viabilizar a formação técnico-profissional para o mercado de trabalho, remunera os alunos com meio salário mínimo durante os dez meses de aprendizado.

O programa é voltado à formação profissional de jovens oriundos do meio rural, possui uma carga horária de 1.020 horas divididas em três etapas do curso. O Núcleo Básico inclui 192 horas que se subdivide em sete módulos; conhecimentos específicos com 288 horas, subdivididas em cinco módulos e a prática profissional na empresa 540 horas. Este último corresponde à aplicação da carga teórica em uma situação real oportunizada pela Maratá, focando o planejamento curricular de aprendizagem.

Lei

O Jovem Aprendiz foi lançado pelo SENAR para atender as exigências do Governo Federal – Ministério do Trabalho e Emprego, no que determina a Lei nº 10.000/2002 e consiste em preparar jovens para o mercado de trabalho em consonância com as necessidades das empresas que exploram atividades rurais e os requisitos da legislação em vigor.

“Neste caso, a iniciativa é voltada basicamente para o adolescente ou jovem de 14 a 24 anos completos e incompletos, preferencialmente, filho de trabalhador ou de produtor rural que tenha concluído ou esteja cursando regularmente o Ensino Fundamental ou Médio, matriculado em curso de aprendizagem com vínculo empregatício caracterizado por contrato de aprendizagem, conforme previsto na legislação”, explica o presidente do Sistema FAESE/SENAR Sergipe, Ivan Sobral.

Parceria

Para a superintendente do SENAR Bahia, Carine Menezes Magalhães, a parceria com o SENAR Sergipe chega para ampliar a possibilidade de atendimento às empresas contribuintes. “As duas regionais se unem na formação profissional de jovens do município de Rio Real que, pela primeira vez, participam de um programa que garante formação e, ao mesmo tempo, remunera os participantes”.

Segundo ela, esta ação é extremamente importante, pois os jovens, de um modo geral, projetam o seu futuro a partir de um ideal urbano, movidos pelo desejo de usufruir das possibilidades do mundo tecnológico e moderno disponíveis nas cidades. “Contudo, este é um sonho muitas vezes distante para jovens que vivem no meio rural, tendo em vista os índices de baixa escolaridade, insuficiência e deficiência da educação básica. Portanto, por entender que a primeira oportunidade profissional representa um momento decisivo para a trajetória futura do jovem no mercado de trabalho, é que o SENAR investe em programas como o Jovem Aprendiz”.

De acordo com Ivan Sobral essa parceria tem o objetivo de conseguir capacitar e colocar jovens no mercado de trabalho. “Hoje o mercado vive uma grande fase de competitividade, a busca por um espaço é grande e quanto mais capacitado, mais fácil fica do jovem conseguir uma vaga de trabalho, principalmente se ele tiver um certificado do SENAR”.

Primeiro emprego

Ao final do curso, aqueles que melhor se destacarem podem ser contratados para trabalhar na Maratá. “Nós temos interesse em contratá-los posteriormente ao curso. Para a empresa é melhor ter uma pessoa que já entenda do nosso funcionamento”, assegurou o engenheiro agrônomo e gerente agrícola da Maratá, Djalma Faria de Oliveira Filho.

A Maratá em Rio Real (BA) produz laranja em 12 mil hectares e conta atualmente com 430 funcionários. “Esses alunos podem ser nossos futuros fiscais de colheita ou de máquina, também podem trabalhar nos viveiros e no setor administrativo”, disse Djalma Faria.

Alunos

A aluna do curso Técnico em Agropecuária, Luciana dos Santos, diz que a dinâmica de transmitir os assuntos das disciplinas no programa Jovem Aprendiz Rural é melhor que na escola que estuda. “Há mais coerência e coesão, então fica mais fácil aprender”, observa. Ela já vislumbra dois sonhos após a conclusão do curso. “Ser contratada pela Maratá e assim ter meu emprego fixo. Inclusive, já estou juntando o dinheiro que recebo para pagar o curso de Medicina Veterinária”, confidencia.

O aluno Júlio César dos Santos Rodrigues mudou de sonho. “Fui convidado por uma tia para morar em São Paulo, onde trabalharia na construção civil, mas com a oportunidade de participar do Jovem Aprendiz Rural mudei de sonho e optei por ficar estudando. Quem sabe sou contratado pela Maratá”, vislumbra.

Assessoria de Comunicação do SENAR Sergipe
Sistema FAESE/SENAR Sergipe
(79) 9 9997-9224