#Rio Real
Publicada em: 05/07/2017 | 1703 Visualizações
Guarnições da 6ª CIPM realizam prisões, apreensões e recuperam motocicleta roubada, no primeiro final de semana com Delegado plantonista, em Rio Real-BA.
Durante o final de semana na cidade de Rio Real, as guarnições da 6ª CIPM intensificaram as rondas ostensivas em todo município e no primeiro final de semana com delegado plantonista na Delegacia, Dr. Luis Enock e equipe, realizaram dois flagrantes.

Ao passarem em ronda pelo centro da cidade, a guarnição comandada pelo Oficial de Operações, Tenente Jorge Rodrigues, suspeitaram de um indivíduo que empurrava uma motocicleta, marca Honda, modelo Bros, cor vermelha e que coincidia com as mesmas características narradas pelas vítimas de roubo a celular e motocicletas.

Desta forma, fora feita a abordagem do suspeito, que em primeiro momento reagiu a revista, sendo necessário o uso proporcional da força para contê-lo. Em seguida foi feita a devida consulta da procedência da motocicleta e foi constatado que se tratava de uma motocicleta roubada na cidade de Itapicuru-Ba, no povoado Vila Sergipana, no dia 27 de junho deste ano, que estava com placa adulterada, QKY1481, placa original NTU 0248 . O indivíduo foi identificado como A. O. C. S. de 17 anos, morador do bairro Maré Mansa, suspeito de praticado diversos roubos de celulares em Rio Real e nas cidades sergipanas de Tobias Barreto, Cristinápolis, Umbaúba e Itabaianinha. Foi apreendido com o suspeito 01 celular, marca Motorola, 01 capa de celular e 01 pino de substância análoga a cocaína.

Uma suposta jovem cúmplice foi identificada e segundo informações ela dispensou vários celulares que estavam em um bornal, entretanto, ao chegar no local indicado nada foi encontrado, logo em seguida foi liberada.

Em outra situação de flagrante, a guarnição conduziu, por volta das 22hs, um indivíduo identificado como, Marcos Davi dos Santos, 20 anos, que estava na Praça Zequinha Barbosa, Centro, ameaçando e tentando assaltar um senhor utilizando uma pistola de vacinação bovina, confundido a vítima, por ser um simulacro de arma de fogo, além de mentir dizendo que era policial.



Fora feito os procedimentos necessários pelo Delegado plantonista.